370 dias depois do primeiro. - EMdurance Runner
220
post-template-default,single,single-post,postid-220,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-title-hidden,qode_grid_1300,qode-content-sidebar-responsive,qode-child-theme-ver-1.0.0,qode-theme-ver-13.3,qode-theme-bridge,disabled_footer_top,wpb-js-composer js-comp-ver-5.4.5,vc_responsive

370 dias depois do primeiro.

No dia 2 de Abril de 2016 vou ao Inatel Piódão Ultra Trail, que, como quase todos sabem, foi a prova onde me “tornei” ultramaratonista. Tinham passado apenas 153 dias desde que fiz a minha primeira prova em trilhos, uma prova de 15kms e com muito pouco desnível, lá pelos lados da terra que me viu crescer, mas que deixou o ‘bichinho’ do trail que se haveria de transformar em ‘monstro’.
370 dias depois do meu primeiro ultra trail, em Piódão, volto lá. E se da primeira vez levava toda uma inexperiência do que era correr uma prova desta distância e desnível, com o tempo e desgaste físico que acarreta, sem treinos em dia e pouco conhecimento de mim próprio, desta vez levo toda uma preparação (para uma prova que não esta), que me permite olhar para o IPUT com um sorriso de confiança em vez do de incerteza que usei em Março de 2015.
Entre a prova anterior e esta, muito aconteceu. Fiz mais duas ultras (Monte da Lua 55K e Rocha da Pena 65K) e treinei muito, muito mesmo. Tenho equipamento que me vai ajudar na progressão, percebo a importância da nutrição em provas longas e sei quando e em que quantidades a devo fazer durante a corrida. Acima de tudo, não vou para o desconhecido sem preparação. É certo que cada prova é uma prova, que tudo pode acontecer, mesmo o mais imprevisível, mas sinto-me bem mais capacitado para um desafio destes.
Os objetivos são apenas 3: terminar a prova sem lesões, entrar um pouco no ritmo competitivo e conseguir melhorar o tempo do ano passado.
Aaaah, se possível, fazer a prova toda com este sorriso na cara!
Partilha com o mundo
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
No Comments

Post A Comment